MEU VELHO E O MAR…

E o velho comandante atravessou o planeta pra embarcar no Unfo, veio conferir de perto seu legado, o novo barco,  ensinar e aproveitar momentos da vida a bordo que eu sei que ele tanto sente falta…

Obrigado pela visita paizão, é uma alegria imensa ter sua companhia, enxergar muito de mim nos teus gestos, manias e traços, é uma honra gigante ver tua disposição em compartilhar de momentos conosco e se superar a subir montanhas, nadar, remar um SUP e nos ajudar com os trabalhos no barco.

DSC06503
IMG_4326~photo

Hoje colhemos os frutos de uma semente que tu plantou, regou e podou quando se fez necessário. Em um sábado estranho em Porto Alegre, me levaste para a escolinha de vela, confesso que não tinha idéia do que estava acontecendo, eram crianças desconhecidas e uma aula em pleno final de semana, é difícil imaginar que eu tenha gostado muito da idéia, talvez tenha aceitado pra não te magoar, ou pela parceria…

No entanto com o passar do tempo,  vi que a resenha com a turminha era boa, eu  adorava os almoços no clube e principalmente a liberdade de sozinho navegar desde o Iate Clube até quase o Estádio Beira Rio… onde começava a feder.. pra não perder a piada.  Montar o veleiro, vestir um colete salva vidas e dar bordos a manhã inteira… não tinha a noção completa naquela época, mas aqueles finais de semana  comungando com o Rio Guaíba estavam por moldar meu destino, e devo isto a ti “Véio”.

Veio a adolescência e a negação de tudo, as coisas mudaram e aquela coisa de barco foi ficando pra trás, apesar de me lembrar com pesar do dia que me buscou na escola e me disse que havia vendido nosso veleiro.

 Anos mais tarde na faculdade, sempre que o assunto de vela vinha a tona eu dizia que tinha feito e acontecido, e pela primeira vez me ocorreu que saber velejar era sim motivo de orgulho, uma aptidão admirada e que não poderia ficar restrita a minha infância.

Nessa mesma época “Véio” numa de tuas poucas visitas a Rio Grande durante meus anos de faculdade, mais precisamente em meu aniversário de 25 anos, tu me contou que havia comprado o velho Unfo de volta… De pronto alimentei sonhos, completamente ignorante quanto a desafios e realidades, imaginei sair com aquele veleirinho rumo sul, atravessar o estreito de Magalhães e navegar até a Nova Zelandia, onde um clássico daquele calibre seria valorizado como deveria…

cópia de 085 (1)

Paralelo aos planos, segue a vida, que como o mar ensina que a única coisa constante é a mudança.  E numa dessas fortes rajadas, quase te perdi, se tivesse ido, iria embora meu sonho, iriam embora os barcos, Nova Zelandia e qualquer coisa que estivesse nesse pacote. Mas valentia nunca te faltou, e te postes em pé, e juntos colocamos em pé o Unforgettable também.

Alheios a deboches e dúvidas de tristes palpiteiros, fizemos daquele velho barco de final de semana uma pequena fantástica nave de cruzeiro. Com criatividade e disposição de sobra, e agora com a Ge junto no time recriamos nossos planos. Não iríamos mais aos mares do sul, Magalhães terá de esperar, mas decidimos por rumar norte.  Nessa época os livros e tudo que eu estava vivendo me faziam sonhar com águas cristalinas, pesca, mergulho e paisagens tropicais. Estudando um pouco mais aprendi que rota mais tranqüila e segura seria seguir pelos trópicos, rumando Oeste até onde agüentasse.

DCIM100MEDIADJI_0147.JPG

Depois de zarpar, a cada porto que chegava a primeira mensagem ou telefonema era pra ti, sempre orgulhosos e um tanto exibidos, chegamos a Ilha do Mel, passamos o canal do varadouro (sem encalhar), chegamos ao Rio de Janeiro e AHA UHU o Caribe é Nosso!!! E confesso até mais do que no próprio feito a minha alegria estava em te ligar e contar como tinha sido e o quão bem nosso barco tinha navegado.

Daí em diante é tudo historia, muita água por debaixo da quilha, foi-se o Unfo orginal, e veio e foi-se o Unfo 2, teimosos que somos, veio o Unfo 3 e confesso que eu estava louco pra tu conhecer ele…

De um Optimist as margens do Guaiba à um veleiro oceânico de 43 pés na Polinésia Francesa, muito tempo passou e muita coisa mudou, mas tu estava sempre e segue navegando conosco, sempre com essa sorrateira maneira de incentivar e incutir teus sonhos em nossos planos e nos levar adiante. E eu sigo navegando por nós, pensando sempre em aportar em um novo litoral distante e disparar uma mensagem pra ti, contando como foi e quão bem o Unfo segue navegando…

Até a próxima “Véio” , beijo!

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Anúncios

7 comentários em “MEU VELHO E O MAR…

  1. Grande Diego, Gratidão. Essa é a palavra.Sou cristão e devo muito (talvez tudo) do que sou aos meus pais.Segue uma passagem da bíblia que gosto muito e vi em suas palavras:Êxodo Cap. 20.12 Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor, teu Deus, te dá.Falando de vela, só essa semana consegui atualizar os vídeos. Muito irado o campeonato de surf. Ondas impressionantes.Continuo embarcado com vocês no Unfo…Estou amando o Pacífico. Bons ventos!LuizEnviado do meu smartphone Samsung Galaxy.

    Curtir

  2. Muitooooooo linda mensagem Diego! Parabéns!!!
    Faz jus ao sorriso aberto do teu pai quando fala em ti e na Ge.
    Que maravilha vê-los curtindo juntos. Bons ventos levem seus sonhos para mundos distantes e os trazem de volta com toda bagagem de grandes velejadores e aventureiros. Abraços Genoveva M. e Assis

    Curtir

  3. Que linda mensagem. Assim, nós pais vamos dando um molde e um caminho, enquanto filhos, seguimos as trilhas e aos poucos nos percebemos grandes. Parabéns ao pai e ao filho.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s