QUANTO CUSTA E COMO FUNCIONA PARA ENTRAR EM GALÁPAGOS DE VELEIRO

Por: Primeira Oficial Georgia Spiandorello

Em Abril desse ano navegamos até as Ilhas Galápagos como parte da nossa travessia até a Polinésia Francesa.

IMG_1017

Buscamos informações oficiais sobre os custos e encontramos apenas alguns sites escritos por outros velejadores, todos em inglês, com informações que nos foram úteis para decidirmos parar nesse destino. Com o intuito de ajudar outros navegadores deixamos aqui o nosso relato.

Até onde sabemos para entrar em Galápagos de veleiro você vai precisar de uma permissão que é concedida pelas autoridades Marítimas do Equador ANTES de o veleiro chegar. Essa permissão é chamada de “AUTOGRAFO”, nele consta as informações do barco, capitão e tripulação. Lendo isso já parece complicado mas o processo é bem simples, tudo isso será seu agente que vai providenciar para você. Sim, para ir a Galápagos de veleiro você vai precisar de um agente, que será a sua ponte com as autoridades. Não soubemos de ninguém que tentou ou consegui fazer sem agente.

Depois de cotarmos os valores com algumas empresas fechamos com a YACHTGALA (serviço ok, não tivemos problemas, recomendamos), nosso agente seria o Javier. Ele solicitou a documentação necessária, (cópia dos docs do barco, dos passaportes da tripulação e pediu para preenchermos algum formulários, tudo isso online – por email), enquanto ainda estávamos no Panamá.

Informamos o tempo de permanência que desejaríamos ficar, é importante deixar claro, pois para um mês o valor do Autografo é 300usd e para dois meses o valor aumenta cerca de 100usd, fica 400usd. Nós aplicamos para um mês pois nossa idéia era permanecer cerca de 21 dias.

Galápagos é um Arquipélago composto por várias ilhas, muitas delas inabitadas, contudo, não é permitido chegar de veleiro em todas elas. As Ilhas que você pode facilmente solicitar parada são: San Cristóbal, Isabela, Santa Cruz e Floreana. Porém dessa quatro você pode escolher 3. As outras ilhas não são impossíveis para os veleiros, mas são cheias de burocracia, você tem que solicitar às autoridades em caráter especial, tem horários específicos que pode ficar ancorado ou nas poitas (os navios e barcos de passeio tem total preferência) e você não tem permissão para descer ou mergulhar sem estar em companhia de um agente do Parque Nacional, ou seja, para desistirmos mesmo! Nós aplicamos para San Cristóbal, Isabela e Santa Cruz. É cobrada uma taxa de 100usd por ilha.

PS: Cada uma dessas ilhas tem apenas uma ancoragem onde você é autorizado a ancorar.

Sugerimos dar entrada na permissão através de seu agente com pelo menos 1 mês de antecendência, para ter tempo de receber o Autógrafo, fazer as devidas correções se necessário e o que mais couber.

Feito isso, depois de 5 dias, recebemos do nosso agente por email uma cópia do AUTOGRAFO que nos autorizava  a visitar as Ilhas Galápagos com fins turísticos a bordo do Unforgettable 3 pelo período solicitado com a tripulação informada.

Junto o agente encaminhou uma lista de exigências para providenciarmos antes da chegada, entre os itens dizia:

  • O AIS deve ficar ligado durante todo tempo que estiver em Galápagos. (Não ligamos quando estávamos ancorados, somente quando navegando e tampouco isso foi mencionado em nenhum momento pelas autoridades).
  • É mandatório trazer um certificado de FUMIGAÇÃO do seu último porto. No nosso caso já tínhamos o certificado e atendia às exigências, se você não conseguir fazer antes de partir para Galápagos pode fazer lá mesmo na chegada. O valor fica em torno de 120usd.

SOBRE A INSPEÇÃO ANIMAL

  • Não são permitidos animais vivos
  • Não são permitidos plantas vivas
  • Não é permitida a entrada de laranjas, pimentas, todos tipo de frutas vermelhas, café em grãos
  • Não é permitido carne fresca
  • Não é permitido queijo fresco

Nessa parte estávamos preocupados que teríamos que nos desfazer de qualquer carne que tivéssemos a bordo, queijos, temperos, mas nada disso foi preciso. A inspeção, depois de dar uma olhada breve em alguns armários e na geladeira,  retirou apenas alguns maracujás e sementes de chia (nenhum dos dois constava nessa lista) alegando que podem se espalhar muito fácil e se tornar uma praga para a vegetação local. Foram muito cordiais e respeitosos e não vimos problemas em levarem esse itens da nossa dispensa. Não tínhamos carne fresca, somente congelada e frios, como queijo e salame, mas nenhum foi retirado.

Sabemos de outros amigos velejadores que a carne foi toda “confiscada pelas autoridades”.

Outras exigências para a inspeção pelos fiscais do Parque Nacional:

  • Colocar cartazes dentro e fora do barco com o dizer: “PROIBIDO JOGAR LIXO PARA FORA DO BARCO”.  Nós aproveitamos e fizemos cartazes em inglês e em espanhol com desenhos divertidos (tempo de ócio durante a travessia, hehe).
  • Três lixeiras separadas identificadas com os nomes “ORGÂNICO”, “PLÁSTICO” e “PAPELÃO”. Como não queríamos comprar outras latas de lixo, mais plástico inútil que estamos tentando evitar, usamos nossos  dois baldes como lixeiras mais a lixeira comum do Unforgettable. Infelizmente essa parte foi um pouco decepcionante pois, apesar de pedirem para separarmos os lixos, quando você desembarca ele deve deixar com seu agente, que aparentemente mistura tudo no mesmo saco! Não vimos separação de lixo em Galápagos 😦
  • Outra exigência é que você tenha uma pequena área onde possa classificar os lixos sólidos antes de colocar nas lixeiras apropriadas, não nos pediram por essa área mas poderia ser qualquer lugar, a mesa do salão, a bancada da cozinha, não se preocupe com isso.
  • Você deve ter todo tipo de itens para serem usados no caso de derramamento de óleo como toalhas absorventes e etc. Não tínhamos nada além de panos e papel toalha, passou sem problemas, mas o ideal seria ter aqueles pads absorventes para óleo, são baratos mas nem sempre fácies de encontrar.

Algumas exigências entendemos que são mais para navios e não veleiros, e não nos foram solicitada, como:

  • Um Logbook  para o motor e os geradores de acordo com o construtor da embarcação.    
  • Um livro de registros para entrega e recebimento da bomba de água.

Outra exigência que estávamos preocupados era com a tão temida limpeza do casco.

O agente nos enviou as instruções que diziam que o casco deve estar extremamente limpo em sua totalidade, assim como a popa e o bow thruster. Nas instruções eles recomendam limpar o casco 1 a 2 dias antes de chegar em Galápagos. Também sugerem que você cheque o casco 1 dia antes de chegar na primeira ilha inabitada de Galápagos.

Nas instruções também informam que: “Se o casco não estiver de acordo, o Parque Nacional de Galápagos não permitirá que você fique ou navegue e seu veleiro pode ser punido e solicitado para que deixe Galápagos”. 

Com todo esse terrorismo, lá fomos nós limpar o casco antes de deixar o Panamá, saímos de lá com ele brilhando! Depois de quase 6 dias de navegada, na chegada em Galápagos, quando estávamos pertinho de terra já, mas não da ancoragem, mergulhamos para dar uma conferida no casco, continuava limpinho. Não foi necessário fazer mais nada.

Na hora da inspeção nos perguntaram se o casco estava limpo, confirmamos que sim e foi isso, SÓ ISSO! Ninguém mergulhou para conferir, ninguém pediu para mergulharmos, nada! Acredito que isso possa variar muito de barco para barco, do inspetor, do humor do inspetor, mas nosso caso foi assim, maravilha!

Para outros conhecidos eles pediram que mergulhassem e filmassem o casco para mostrar para eles, foi ok também.

Quando você estiver chegando em Galápagos deve avisar seu agente, ele vai agendar a inspeção com as autoridades na sua chegada. Nós ancoramos em San Cristóbal no final da tarde de um Sábado, então, nosso agente recomendou que esperássemos até o dia seguinte pela manhã sem descermos do barco, com a bandeira amarela (quarentena) hasteada.

Na manhã de domingo vieram a bordo cerca de sete inspetores representantes de diversas autoridades para fazer a imigração, alfândega do veleiro, autoridade militar, inspeção sanitária, inspeção do parque, além do representante do nosso agente daquela ilha, no nosso caso, a Karina.

As autoridades foram todas muito simpáticas e gentis. Pediram para olhar e fotografaram algumas partes do barco como motor, holding tank, extintores de incêndio, coletes salva vidas. Conferiram os documentos do barco e a identidade dos passaportes com os tripulantes.

Feito isso, carimbaram nossos passaportes, entregaram o check in do veleiro e nos deram as Boas Vindas, não sem antes batermos uma “selfie”com toda a turma que veio a bordo.

Feita toda a função era hora de acertamos os valores com nosso agente.

Abaixo segue a fatura que recebemos da YACHTGALA com todos os serviços descritos, lembrando que esses valores são para 6 tripulantes, se fossem apenas 2 tripulantes o valor total seria 1.600usd:

PROFORMA_SV UNFORGETTABLE 3

Contudo depois de receber essa fatura questionamos alguns valores:

FUEL PERMIT – não compraríamos combustível com o agente, então pedimos para retirar os 50usd de taxa.

BANK CHARGES FOR PAYMENT WITH WIRE TRANSFERENCES – nós pagaríamos em dinheiro, espécie, então não tem porque pagar 50usd para taxas bancárias. Pedimos para retirar também.

No final o valor ficou 100usd a menos, total: USD2.398,09.

Uma dica: não tenha receio de questionar seu agente, faça questão de entender os valores que estão sendo cobrados (ou pelo menos tentar entender). Nosso agente insistiu para que pagássemos adiantado disse que não era possível pagar chegando lá, questionamos dizendo que tínhamos amigos que pagaram na chegada, que não teríamos como pagar adiantado, somente em dinheiro, única alternativa para nós. Ai ele concordou e disse que a diferença é que se pagássemos adiantado não teríamos que esperar 2h pela inspeção (o que sinceramente acho que não procede). Ok, a tentativa é livre, hehe!

Outra coisa importante, em cada um desses portos que entramos e saímos fomos inspecionados na entrada (na verdade pediram para olhar documentos, nada demais, exceto no primeiro Porto de entrada) e tivemos que solicitar o zarpe na saída. O nosso agente tem um representante em cada Ilha, então em cada ilha entramos em contato com o respectivo representante, ele vem com as autoridades para inspeção na chegada e nos entrega o zarpe na saída (o zarpe é um documento impresso). Nas 3 ilhas tentaram nos cobrar o zarpe e inspeção, (cerca de 10-20 usd cada) não aceitamos porque segundo a fatura do agente já estávamos pagando por esse serviço:

(A) PRIVATE SERVICES 

*VARIOUS TRANSPORTATION FOR OFFICIALS AND INSPECTION AT EACH PORT 90usd. (Transportes variados para os oficiais e inspeção em cada porto – 90usd)

*REPRESENTATION FEE IN THE 3 INHABITED PORTS: PTO. BAQUERIZO M.(WRECK BAY) – PTO. AYORA (ACADEMY BAY) – PTO. VILLAMIL, ISABELA IS. – USD 100,00/EACH . (Taxa de representação nos 3 Portos – 100usd/cada)

Questionei o agente mais uma vez, ele não me respondeu de volta mas acabou não cobrando, então entendo que o valor não era devido ou se cansou de mim, haha!

Realmente os valores são meio nebulosos, não encontramos nenhuma informação com as taxas oficiais, pedimos cotação para mais de um agente para comparar, vários custos são os mesmos outros diferem, então parece que você está sendo enganado o tempo todo, por isso, é importante questionar e não aceitar qualquer valor e cobrança de primeira se você achar que não está correto.

E afinal, Vale a Pena parar em Galápagos?

Essa é um pergunta que pode ser respondida de diferentes formas, vai depender muito da experiência de cada um. Para nós valeu sim, tivemos a oportunidade de conhecer um lugar singular nesse planeta, ainda muito bem preservados onde o desenvolvimento da flora e a fauna tem certa prioridade à nós humanos. Ver diversas espécies de animais selvagens transitando livres pelas ruas e pelo mar foi sensacional, os lobos marinhos, as iguanas e as tartarugas de Galápagos, foi fantástico, sem contar o mergulho com tubarões e cardumes gigantes de peixes.

Além da experiência de conhecer as ilhas, Galápagos também é um dos poucos portos de descanso entre o Panamá e as Ilhas Marquesas, queira ou não, são 850 milhas náuticas de Panamá City até Galápagos, cerca de 6 dias de navegação, e depois mais 3 mil milhas náuticas até as Marquesas. Para quem não quer fazer as quase 4 mil milhas em uma  única tacada, parar em Galápagos pode ser bem conveniente, é um bom descanso para seguir para uma longa travessia depois, é uma forma de encurtar um pouquinho essa longa jornada.

Os valores são bem altos, isso acredito que é o único motivo que nos impediria de pararemos lá. No nosso caso, e acho que é uma boa dica para quem quer parar em Galápagos, é receber tripulação para esse trajeto, assim você pode dividir os custos, fica muito mais razoável e todos tem a oportunidade de conhecer esse lugar especial.

Para não se decepcionar é importante ir sabendo que existem diversas limitações para os veleiros e que a maioria dos passeios são pagos e caros. Nós já tínhamos sido informados por amigos que estiveram em Galápagos antes sobre isso então não esperamos que fossemos conhecer tudo e fazer mil passeios, escolhemos alguns e depois buscamos pelas atividades gratuitas (existem algumas, hehe) que as ilhas oferecem. De qualquer forma a parada foi incrível, um lugar que não sei se iria de outra forma, um bom descanso antes das 3 mil milhas (apesar de as ancoragens não serem muito calmas) e um presente poder estar em contato com a vida animal que só em Galápagos é possível encontrar.

DSC03393-2

DSC03546-2

 

Anúncios

2 comentários em “QUANTO CUSTA E COMO FUNCIONA PARA ENTRAR EM GALÁPAGOS DE VELEIRO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s